Menu

Papa Francisco: Doenças da liderança

empreendedorismo, Gestāo, Gestāo de marca, Pessoas

Papa Francisco: Doenças da liderança

Papa Francisco: Doenças da liderança

+ As 15 doenças da liderança, de acordo com o Papa Francisco

Não é de hoje que nós admiramos a forma de pensar do Papa Francisco, ele com certeza é um exemplo de liderança, uma inspiração. Segundo ele, em um mundo que requer constantes mudanças, não existe espaço para líderes autocentrados (voltados apenas para si), já que eles acabam reduzindo o potencial da empresa.

Há algum tempo, o Papa mandou uma mensagem aos líderes Cardeais (e outras figuras importantes responsáveis pela administração da igreja). Ele foi direto em seu diálogo, e afirmou que os líderes estão sujeitos a enfermidades. Não estamos falando doenças de saúde de fato, mas mesmo assim podemos nomeá-las com nomes parecidos, afinal existem gestores míopes e intolerantes. Quando não tentamos parar essas patologias, acabamos enfraquecendo aos poucos a empresa. O sucesso começa a partir de uma liderança estável e saudável.

Líderes-papa-francisco-agencia-branding-35mm

 

+ Os 15 males que podem acometer líderes

Mesmo que ele tenha falado isso tudo referindo-se a igreja, nas organizações é a mesma coisa. Qualquer um pode sofrer dessas enfermidades e isso pode prejudicar e enfraquecer as empresas. Entenda:

 

            +  A doença que nos faz acreditar sermos imortais ou imunes a tudo

Essa é uma dos mais preocupantes, afinal não somos sinceros com ninguém, nem com nós mesmos. São pessoas ignorantes, que não aceitam ver momentos drásticos da empresa, acham que tudo sempre está bem.

Uma equipe sem autocrítica, que não tenta aprimoramentos e melhorar os pontos fracos, não vai para frente.

Esta é a patologia que costuma ter como sintoma a soberbidade (estar acima do outro), superioridade, narcisismo, etc. Esses sintomas não deixam que enxerguemos o mundo ao nosso redor.

O remédio para isso é: mais humanidade na gestão. Diga para você mesmo que todos da equipe são parte da conquista, e que esse é seu dever… GUIAR para o sucesso!

 

               +  O mal do trabalho em excesso

Atinge principalmente as pessoas excessivamente ambiciosas. Essas nem mesmo reservam um tempo para si, o que consequentemente trás estresse, muito cansaço, e falta de produtividade.

O melhor nesse caso é se desprender um pouco das obrigações e passar um tempo com quem gosta, sua família e amigos.

                 +  “Empedernimento”

Atributo dos líderes arrogantes, sem sentimentos, que depois de anos de gestão perdem a sensibilidade interior, serenidade, ousadia, inovação e apenas se escondem.

Essa doença pode ser perigosa. Precisamos de empatia, é essencial saber se colocar no lugar do outro, sentir o que o outro sente. Fracassar acontece com todo mundo junto, e vencer também, e todos devem comemorar juntos.  Ser um líder humano é essencial, seja humilde, e acima de tudo, generoso.

 

               +  O problema da preparação excessiva

Não deixe que essa seja sua realidade! Essas pessoas costumam planejar tudo, deixar tudo perfeito e sempre acreditam fielmente no sucesso. Você deve sim se preparar, mas sem deixar de lado sua naturalidade. Essa doença acontece por ser comodo estarmos sempre tão bem preparados, quando na verdade, o que nos faz singulares é nossa espontaneidade.

 

              +  O mal da má coordenação

Quando os líderes perdem o equilíbrio do corpo e não existe mais harmônia. Os membros começam a trabalhar de forma desordenada, não existe o espírito amigável ou trabalho feito em equipe.

 

             +  Mal de Alzheimer na gestão

Essa é conhecida e muito temida! Acontece que os líderes esquecem de quem cuidou/ensinou, que foram inspirações, nos apoiaram e guiaram para o melhor caminho.

Essa doença acomete principalmente pessoas presas ao momento presente, a rotinas intermináveis, em suas paixões, e obsessões. Pessoas assim costumam construir uma divisão que afasta-os de todos. São escravos de si mesmo.

 

           +  Rivalidade e Vanglória

Aparências, títulos, e privilégios se tornam o principal objetivo. Na verdade deveria ser comum a essas personagens de grande importância serem menos egoístas possível e mais humildes. Eles devem olhar para o desejo comum da empresa, mas nem sempre isso acontece!

 

        +  Esquizofrenia existencial

Típico daqueles que vivem uma vida dupla, são hipócritas e vazios, emocionalmente falando; um vazio que é impossível ser preenchido. Comum aos líderes que não tem contato com os colaboradores.

 

       +  Doença da queixa e fofocas

Começa de forma ingênua e simples e acaba com um contador de histórias falsas, um semeador de coisas ruins, um assassino de reputação dos outros.

São pessoas covardes, incapazes de dizer na lata o que acham e sentem.

 

        +  Idolatrarão de superiores

O famoso puxa-saco, que costuma cortejar incansavelmente os superiores em busca de posição e prêmios. No meio do caminho costumam perder a sinceridade e sua essência. Vítima do oportunismo.

Passam a correr atrás de pessoas ao invés de missões (os objetivos que envolvem a empresa). Suas mentes insanas pensam somente no que podem ter e não no que podem dar ao mundo.

Entre todas as características, a mais evidente é que são egoístas e infelizes. Todos que estão ao redor são prejudicados por essa doença!

 

           +  O mal da indiferença

Individualismo! Ele só pensa em si e ao longo do tempo perde a sinceridade e a humanidade. Pode acontecer de várias formas, por exemplo, quando a pessoa consegue conhecimentos não disponíveis aos colegas. Então, a pessoa começa a se sentir superior e indiferente. Apenas assiste os outros caírem ao invés de ajudar.

 

           +  Fisionomia sombria

Acomete principalmente pessoas pessimistas, e que tratam seus colaboradores (ou qualquer um que estiver abaixo do seu cargo) com rigor e arrogância.

A verdade é que essas características podem ser sinônimo de insegurança. Um líder deve sempre buscar ser alegre e transmitir isso para quem está ao seu redor. Uma pessoa feliz transforma o ambiente que trabalha!

 

         +  O problema do acúmulo

Pode acontecer quando o líder busca acabar com o vazio existencial acumulando bens materiais. Isso traz segurança para eles. Porém, não podemos carregar tudo para sempre conosco. Isso é apenas um fardo que devemos nos desprender para conseguir progredir.

 

         +  Círculos Fechados

Pertencentes a grupos fechados. Começa com boas intenções, mas com o passar do tempo acaba trazendo consequências negativas. Isso pode ser uma ameaça para a harmonia da empresa. O ataque começa de dentro, de pessoas conhecidas.

 

           +  Extravagância e exibicionismo

Ele (líder) transforma serviços em poder. Nesse tipo de doença, a pessoa é insaciável, está sempre em busca de mais,  mais, e mais… Para conquistar o poder estão dispostas a qualquer atitude, inclusive difamar e prejudicar o próximo.

Querem ser melhores do que os outros. Almeja se sentir grande e poderoso a qualquer custo!

 

Líderes-papa-francisco-agencia-branding-35mm

Enfim, essas doenças podem prejudicar toda uma sociedade e, particularmente, organizações. É sempre bom ter segundas opiniões sobre isso, saber escutar. Não deixe de se atentar a esses problemas. Que tal seguir os conselhos do grande líder da igreja católica para ser melhor em gerir bem sua empresa?

 

Quer saber mais? Então entre em contato conosco e descubra junto conosco sobre liderança! 😉

Ou então siga-nos em nossas redes sociais:

 

 

Agência de Branding e Marketing Digital em São Paulo – 35mm
Share

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!

UA-65834577-1